segunda-feira, 22 de maio de 2017

José Salomão diz que dinheiro recebido “foram doações legais”


José Salomão (PT) ex-prefeito de Dianópolis, sudeste do Tocantins, enviou nota falando sobre o recebimento de dinheiro da JBS em sua campanha para deputado estadual  em 2014.

Por Carlos Henrique Furtado

A citação do nome de Salomão apareceu em uma lista divulgada pela imprensa sobre a delação da JBS. Entre os 33 nomes de políticos citados está o do ex-prefeito dianopolino.

Em sua nota Salomão diz que “foram doações legais recebidas e a mim repassadas pelo meu partido, o PT (Partido dos Trabalhadores)”. E fala que essas doações foram “declaradas oficialmente” e que “suas contas foram aprovadas pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral)”.

E finaliza afirmando que “minhas campanhas foram bancadas, quase que integralmente, com recursos próprios”.

Tive o prazer de trabalhar com o então prefeito José Salomão, e me surpreendeu, à princípio, o aparecimento de seu nome nessa delação, mas ao verificar a sua prestação de contas no TSE vi que o dinheiro tinha sido repassado pelo partido. Como eu disse na matéria, na época a doação de empresas era legal. Mas, como disse o delator, foi usado dinheiro para a compra de partidos, vários por sinal. Se existe alguma coisa a ser explicada deverá ser feita pelo Partido dos Trabalhadores.

Aí deixo uma pergunta: qual candidato em meio a uma campanha acirrada reusaria dinheiro doado de forma legal?

Leia a nota na íntegra:


A propósito da citação do meu nome dentre os beneficiados por doações empresariais, dentre as quais a JBS, esclareço que os valores, totalizando aproximadamente 30 mil reais, foram doações legais recebidas e a mim repassadas pelo meu partido, o PT, declaradas oficialmente, tendo as minhas contas sido aprovadas pelo TRE. 

Já disputei 7 eleições e jamais procurei ou solicitei doação de nenhum empresário. Recebi, é certo, ajuda espontânea de alguns deles. Minhas campanhas foram bancadas, quase que integralmente, com recursos próprios.


Fonte: Site Tocantins 24 Horas

http://www.tocantins24h.com/politica/jose-salomao-diz-que-dinheiro-recebido-foram-doacoes-legais

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Motocross dos Amigos reuniu mais de 60 pilotos em Dianópolis


No último final de semana o Motocross dos Amigos – Ano 1,  reuniu em Dianópolis 66 pilotos da Bahia, Goiás, Piauí e Tocantins. Muita adrenalina e emoção na disputa pelas melhores colocações de oito categorias. A premiação em dinheiro foi de mais de R$ 7.500,00. Sob a locução de Neel Rocha o evento realizado pela Equipe BixuBruttu foi prestigiado por cerca de cinco mil expectadores de Dianópolis e cidades circunvizinhas.

Para o idealizador do evento, o também esportista Ceará, o objetivo de reunir e reencontrar amigos do motocross foi alcançado. “As expectativas foram superadas, tanto no quantitativo de pilotos quanto na participação da população. O resultado foi satisfatório”, avaliou.

O pequeno Cauê de 08 anos deu um show e liderou a categoria infantil. “A gente pode apostar porque esse garoto é uma promessa para o Motocross e em alguns anos vamos vê-lo no brasileiro” disse Ceará.


Atletas de 16 cidades aceleraram forte e deram um show na terra e no ar. O Parque de Esportes Areião tremia cada vez que as máquinas aterrissavam o público ia ao delírio. Grandes conhecidos desta modalidade esportiva como o atual campeão tocantinense João Antônio e as lendas William Foguete 14 vezes campeão tocantinense, César Bala, Wolney Fiquei também marcaram presença e subiram no podium nas categorias que disputaram.

Fonte: Portal do Sudeste

Três toneladas de peixes são destruídas em aterro sanitário

Peixes foram destruídos em aterro sanitário (Foto: Adapec/Divulgação)

Uma carga de três toneladas de peixes foi destruída em um aterro sanitário após ser apreendida no posto de fiscalização de Filadélfia, no norte do estado. De acordo com a Agência de Defesa Agropecuária (Adapec). O produto estava fora das normas sanitárias e armazenado sem a quantidade necessária de gelo para garantir a conservação.

Os fiscais abordaram o caminhão que transportava os produtos e constataram também que o condutor não tinha registro da inspeção sanitária para os produtos. 

A informação da Adapec é que os peixes foram produzidos no Ceará e seriam vendidos em Dianópolis, no sudeste tocantinense. O caso aconteceu neste domingo (7).

"Este trabalho de abordagem no trânsito é fundamental para a melhoria da qualidade dos produtos e subprodutos que consumimos, e esta carga não possuía nenhuma condição para o consumo", disse o inspetor da Adapec Mansueto Azevedo Costa.


O proprietário da carga foi multado em R$ 2 mil e os produtos foram destruídos ainda no domingo, no aterro sanitário de Filadélfia.

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Mourão acompanha PT e vai deixar base; deputado diz que decisão é "ajuste para 2018


A decisão do Partido dos Trabalhadores no congresso estadual de sair da base do governador Marcelo Miranda (PMDB) foi vista como algo “natural” pelo deputado estadual Paulo Mourão (PT). O petista - que já foi líder do Palácio Araguaia na Assembleia - avalia que a nova postura da legenda no Estado foi adotada tendo em vista a eleição presidencial do ano que vem. Sobre o novo posicionamento da sigla, o parlamentar disse que vai defendê-lo.

Segundo Paulo Mourão, o partido já vive uma “antecipação” do processo do ano que vem. “Nós estamos vivendo um momento em que já se desenha o quadro de 2018. O Partido dos Trabalhadores, com uma candidatura própria do ex-presidente Lula tem que se organizar no cenário estadual. Acho natural posicionamento do partido. O PT defende um Estado melhor do que está aqui hoje”, comentou o deputado, reforçando que o PMDB no Estado já está alinhado com o PR, PV e outros partidos avessos aos petistas.

Paulo Mourão contou ao CT que deve seguir a orientação indicada pelos delegados petistas e criticou embates dentro da sigla sobre o posicionamento. “Não vejo necessidade de digladiações, principalmente interna. Isso [ida à oposição] foi definido no congresso, e caso seja essa a posição final, tenho a maior tranquilidade de defendê-la. Aliás é o que estou fazendo, propondo alterações. Nós temos que parar fazer política pensando em grupos políticos, por isso que afundaram o Tocantins”. afirmou.

“Estou fundamentando transformações, mudanças. O que entendo que é positivo, estou acompanhando [o Executivo]; o que não acho, estou propondo alterações. Vou aprimorar mais ainda na defesa da cidadania e do Estado. Não tenho compromisso com o governo”, conclui Paulo Mourão.

Auditoria

Já na sessão vespertina da Assembleia Legislativa desta terça-feira, 9, Paulo Mourão (PT) apresentou requerimento em que pede a realização de uma auditoria na gestão da saúde do Estado. Pela manhã, o parlamentar esteve reunido no Plenarinho da Casa com os membros do Conselho Estadual de Saúde e representantes de sindicatos dos servidores, onde apresentou o teor do documento.

Pela proposta, o deputado pede a convocação de reunião conjunta das comissões de Finanças, Tributação, Fiscalização; Saúde e Meio Ambiente, com apoio do Tribunal de Contas do Estado (TCE) e Tribunal de Contas da União (TCU) para realização de auditoria envolvendo a parte contábil, orçamentária, financeira e operacional, inclusive as questões relacionadas ao quadro de pessoal no setor da saúde do estado do Tocantins.

Mourão justifica que é notória a insatisfação popular com a ineficiência da saúde pública estadual. “As pessoas se sentem desamparadas”, lamentou. Inclusive sendo constantemente divulgado nos noticiários casos de mortes de pacientes adultos e crianças por falta de assistência. “As notícias vão desde falta de medicamentos, não realização de procedimentos médicos, interrupção de tratamentos oncológicos, falta de leitos, falta de alimentação e de limpeza nas unidades hospitalares”, relata.

Rompimento

Os petistas com cargos no governo Marcelo Miranda (PMDB) devem pedir demissão até o dia 6 de junho. A orientação do Partido dos Trabalhadores é resultado da resolução aprovada no congresso estadual deste último fim de semana - sábado, 6, domingo, 7 - que elegeu o deputado José Roberto como presidente da legenda no Tocantins. A ida da sigla à oposição já tinha sido adiantada pelo parlamentar ao CT em abril, após o resultado do processo do Processo de Eleição Direta (PED), responsável por garantir o maior número de delegados.

Em recente conversa com o CT, o novo presidente da agremiação disse que a decisão de sair da base do Palácio Araguaia foi apoiada por 80% dos congressistas. “Que é a instância máxima”, reforçou. Para o deputado, O impacto nos quadros do governo do Estado não será significativo. “Nós temos poucos cargos”, admitiu Zé Roberto. No primeiro escalão, o partido possui apenas a secretária de Cidadania e Justiça, Gleidy Braga. Por outro lado, a bancada petista na Assembleia Legislativa conta com três cadeiras: o próprio dirigente, Paulo Mourão (PT) e Amália Santana (PT).

Ainda na base

Integrante da tendência Construindo um Novo Brasil (CNB) do Partido dos Trabalhadores - derrotada no congresso estadual -, a deputada estadual Amália Santana (PT) já expôs nesta terça-feira, 9, a insatisfação do grupo com a resolução partidária que determina a saída dos petistas da base do governador Marcelo Miranda (PMDB). A parlamentar afirmou que na votação da orientação os membros da CNB não estavam presentes e por isso disse não considerar legítima a decisão.

Amália diz que o partido estava “bastante dividido” no congresso e que na hora da votação da resolução sobre a saída da base do governo os membros da tendência Construindo um Novo Brasil não estavam presentes. “Então, não considero [a decisão] como legítima e vou seguir os 42% da minha chapa, que é a CNB”, disse a deputada, que acrescentou: “Não vou seguir orientação de uma determinação que foi votada sem a presença do nosso grupo. Não vou fazer nada sem ouvir a minha base.”


Amália ainda criticou o que chamou de “incoerência” de Zé Roberto ao defender o afastamento das siglas que apoiaram o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), sem lembrar do cenários das prefeituras. “Temos muito de nossos militantes ocupando secretarias municipais de governos do PMDB, do PR e de outros. Não vou prejudicá-los por conta de uma posição mal pensada. Tenho a responsabilidade de zelar por essas alianças. Não sou movida pelo ódio, sou movida pela razão”, comentou.

Fonte: portal CT

domingo, 30 de abril de 2017

Termina na terça-feira (2) prazo para eleitor faltoso regularizar situação

Título de Eleitor NF

Na próxima terça-feira (2) encerra-se o prazo para o eleitor que não votou e não justificou a ausência nas três últimas eleições, ou não pagou as multas correspondentes, regularizar sua situação perante a Justiça Eleitoral. Após essa data, os eleitores nessa condição que não estiverem regulares correm o risco de ter o título cancelado.

A legislação considera cada turno de votação um pleito em separado para efeito de cancelamento de título. O cancelamento automático do título de eleitor ocorrerá de 17 a 19 de maio de 2017.

O parágrafo 6º do Provimento do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nº 1/2017 estabelece que “será cancelada a inscrição do eleitor que se abstiver de votar em três eleições consecutivas, salvo se houver apresentado justificativa para a falta ou efetuado o pagamento de multa, ficando excluídos do cancelamento os eleitores que, por prerrogativa constitucional, não estejam obrigados ao exercício do voto”.

Assim, os eleitores com voto facultativo (analfabetos, eleitores de 16 a 18 anos incompletos e maiores de 70 anos) ou com deficiência previamente informada à Justiça Eleitoral não necessitam comparecer ao cartório para regularizar a sua situação.

O que levar

Para fazer a regularização, o eleitor deverá apresentar, no cartório eleitoral, documento oficial com foto, comprovante de residência e, se possuir, título eleitoral e os comprovantes de votação, de justificativa ou de quitação de multa.


O cidadão pode consultar sua situação perante a Justiça Eleitoral por meio de pesquisa na aba Eleitor no link “Consulta por nome”, entre outros tópicos, localizada na barra verde superior da homepage do Portal do TSE ou no site do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do estado. Pode ainda ir ao cartório eleitoral e solicitar essa informação.

Sindicatos e movimentos sociais do TO protestam contra reformas

Manifestação em Palmas passou pela avenida JK (Foto: Letícia Queiroz/G1)

Manifestantes colocara cruzes com fotos de polítcos em uma rotatória de Palmas (Foto: Letícia Queiroz/G1)

Por G1 Tocantins

Um grupo de manifestantes se reuniu na manhã desta sexta-feira (28) para um protesto em Palmas. Trabalhadores ligados a sindicatos e movimentos sociais protestam contra as reformas trabalhista e da previdência. Os organizadores estimam que 10 mil pessoas participaram do ato. A PM disse que não vai divulgar números. A manifestação começou às 9h e terminou por volta de 11h.

A concentração foi realizada em frente ao Colégio São Francisco, na quadra 110 Norte, centro da capital. Depois, o grupo seguiu em caminhada pela avenida Juscelino Kubitschek (JK). Durante o ato, os trabalhadores pararam em frente ao prédio da Prefeitura de Palmas e também protestaram contra o prefeito Carlos Amastha, que anunciou em uma rede social que cortará os pontos dos servidores que faltarem ao trabalho. Em seguida, os trabalhadores seguiram para o Palácio Araguaia, sede do governo estadual, onde encerraram a manifestação.

Um outro grupo de pessoas também fez ato em frente ao câmpus da Universidade Federal do Tocantins (UFT). No início da manhã, eles atearam fogo em pneus para impedir a passagem de carros e pedestres. Nesta sexta-feira não haverá aula na instituição.

"Somos contra essas reformas que estão sendo implantadas pelo governo Temer e que a cada dia que passa está tirando o direito do trabalhador. Este é o momento que as centrais sindicais se unem para demonstrar indignação. O trabalhador está sendo sacrificado, não tem nada de benefício até agora. Nós não aceitamos, não concordamos e temos que lutar pelos nossos direitos", argumentou Antonildo Alexandre de Medeiros, presidente da Central de Trabalhadores do Brasil (CTB).

A jornalista Ana Franco levou a filha de dois anos para protestar. Ela argumenta que as reformas podem trazer perdas irreparáveis para os trabalhadores. "É a partir desse ato que vamos mostrar para os nossos filhos e para a juventude do nosso país que é com luta, é demonstrando o nosso desagrado que a gente pode começar uma mudança social e uma mudança política".

A estudante de direito Ana Yasmin Camargo foi ao protesto acompanhada de outros colegas de faculdade. Para ela, as "reformas cortam todos os direitos já conquistados durante anos pela população brasileira. Existem pessoas que não precisam, mas todos tem de estar juntos nessa luta".


Vários trabalhadores adediram à paralisação, inclusive os policiais federais, que também pararam por alguns minutos. Eles ficaram em frente à sede da PF em Palmas também em protesto contra as reformas, segurando uma faixa com a seguinte frase: 'Polícia envelhecida, criminalidade fortalecida'. Depois, voltaram ao trabalho.

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Nos pênaltis, Juventus de Dianópolis perde para o Central de Paraíso no Estádio Pereirão


Na tarde deste domingo (23) de futebol em Paraíso do Tocantins, o Central Tocantinense recebeu no Estádio José Pereira Rêgo, o Juventus de Dianópolis para o jogo de volta pelo Campeonato Tocantinense Amador edição 2017. Na primeira partida em Dianópolis no dia 16/04, o Central Tocantinense venceu pelo placar de 1 x 0, com isso a equipe paraisense jogava com a vantagem do empate em Paraíso.

O jogo

Em uma partida dramática o Central de Paraíso e o Juventus de Dianópolis levaram muita emoção aos torcedores que foram até o Estádio Pereirão.

A equipe do Central, com falhas seguidas na marcação, deixou o Juventus dominar e fazer 1 x 0 com Walisson aos 6 minutos do primeiro tempo. O placar poderia seria maior, não fosse à boa atuação do goleiro Elizeu.

O treinador Leisler do Carmo, do Central, diante do domínio do Juventus fez duas alterações na equipe ainda na etapa inicial.

No segundo tempo o Central voltou um pouco melhor, mas, não conseguiu fazer o gol tão necessário que lhe garantiria a classificação para a semifinal do Campeonato Tocantinense Amador, já que havia vencido a primeira partida e um empate o manteria na competição sem tanto sofrimento.

O jogo ainda foi interrompido quase ao final do segundo tempo, quando um torcedor acendeu uma espécie de sinalizador nas arquibancadas. Como tudo voltou ao normal sem maiores incidentes o juiz acrescentou mais dois minutos e logo após encerrou a partida, onde daria início às penalidades.

Final da etapa regulementar, Central 0 x 1 Juventus, que veio a Paraíso para tentar o resultado, conseguiu e levou a decisão para os penaltys.

Penaltys

Vieram às cobranças de penalidades com cinco jogadores escalados para cada equipe. O drama aumentou quando o Juventus, time visitante, chegou a fazer 3 a 1, pois a equipe paraisense errou o segundo e o terceiro penalty.

A equipe da cidade de Paraíso correu atrás do prejuízo e converteu as duas últimas cobranças enquanto o Juventus perdeu as demais. Nas cobranças normais o resultado ficou em 3 a 3.

A partir dai as cobranças foram alternadas. O Juventus marcou a primeira e o Central, também. Na segunda o goleiro Elizeu do Central encaixou a cobrança de penalidade no meio do gol cobrada pelo jogador Léo Júnior e o jogador Mateus, do Central, marcou o gol da classificação do time paraisense.

Central:

Tiarles, Sérgio Vinicius, Danilson, Cleilson e Matheus fizeram. Juninho e Vando bateram pra fora. Goleiro do Central, Elizeu.

Juventus:
Maique, Jefão, Neguinho e Leo Júnior fizeram. Carlinhos (Elizeu pegou), Klid bateu e acertou as duas traves e Du isolou. Goleiro do Juventus, Marcelo.


Foram cobradas 14 penalidades, final: Central Tocantinese (5) 0 x 1 (4) Juventus.

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Na Eleição de Taguatinga, Rádio e TV devem observar vedações da legislação a partir desta terça-feira,18 de abril

Por 4 votos a 3, Corte Regional opinou pela inelegibilidade de Paulo Roberto

As emissoras de rádio e televisão que atuam em Taguatinga devem a partir desta terça-feira, 18, observar as vedações contidas no artigo 45 da Lei 9.504 de 1997, que estabelece normas para o processo eleitoral, alerta a Corte Regional. Entre os dispositivos está a proibição de veicular propaganda política ou difundir opinião favorável ou contrária a candidato, partido, coligação, a seus órgãos ou representantes.

As eleições em Taguatinga serão realizadas dia 4 de junho para os cargos de prefeito e vice-prefeito, após decisão proferida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mantendo o indeferimento do registro de candidatura de Paulo Roberto Ribeiro (PSD) ao cargo de prefeito de Taguatinga nas eleições municipais do ano passado, quando havia se consagrado vencedor.

De acordo com o calendário estabelecido pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), dia 18 de abril também é o último prazo para o Juiz Eleitoral indicar os membros da Junta Eleitoral, mesmo que mantida a das eleições realizadas. Na segunda-feira, 17, encerrou o prazo para a realização de convenções destinadas a deliberar sobre coligações e escolher os candidatos aos cargos de prefeito e vice-prefeito.

Um novo processo eleitoral será realizado em Taguatinga porque o primeiro colocado no pleito do ano passado, Paulo Roberto (PSD), teve sua inelegibilidade confirmada no dia 14 de março pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). No fim da eleição, após o fim da apuração, os 3.001 votos recebidos pelo social democrata já foram declarados nulos. A Corte Regional já havia considerado o então candidato inapto a disputar o pleito.


Em setembro do ano passado, por 4 votos a 3, a Corte tocantinense acolheu as argumentações da Procuradoria Regional Eleitoral, que entendeu que o Paulo Roberto é inelegível devido a quatro acórdãos do Tribunal de Contas da União (TCU) que reprovaram convênios da Prefeitura de Taguatinga com a Fundação Nacional de Saúde (Funasa) entre 1997 e 2004, quando o social democrata era o gestor do município. Em março deste ano, o TSE manteve o entendimento por unanimidade.

Decisão atende pedidos do MPE e determina regularização de transporte escolar em Dianópolis


O Ministério Público Estadual (MPE) obteve decisão favorável que determinou ao município de Dianópolis a obrigação de regularizar o transporte escolar municipal, corrigindo os erros apontados nos relatórios de fiscalização do Detran e que colocam em risco a integridade física de crianças e adolescentes da região.

A Ação Civil Pública que resultou na decisão judicial foi ajuizada em setembro de 2015. A iniciativa do MPE tomou como base relatório de inspeção apresentado pelo Detran, o qual relata as péssimas condições dos veículos utilizados no transporte de estudantes do município de Dianópolis.

Dentre os principais problemas relatados no processo estão a falta de retrovisor, lanternas queimadas, estofamento com defeito, ausência de extintor de incêndio, além da falta de manutenção nos veículos.


A decisão, proferida no dia 13 de abril, estabelece um prazo de 90 dias para que o Município proceda às adequações, sob pena de imposição de multa de R$ 10 mil.

Lula é favorito e vence em todos cenários em 2018, diz pesquisa


Pesquisa CUT/Vox Populi mostra Lula à frente de todos os adversários. Apesar do ataque midiático, ex-presidente é o preferido do povo brasileiro

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva continua tendo, apesar de todo o ataque midiático, a preferência dos brasileiros. Pesquisa CUT/Vox Populi divulgada nesta terça-feira (18), aponta que, se as eleições presidenciais fossem hoje, Lula seria eleito em primeiro turno em todos os cenários pesquisados.

De acordo com os dados divulgados, Lula tem de 44% a 45% dos votos válidos contra 32% a 35% da soma dos adversários nos três cenários da pesquisa estimulada. São os votos válidos, excluídos os nulos, em branco e abstenções, que valem para definir o resultado das eleições.

Na comparação com Aécio (13% em dezembro e 9% em abril), Lula subiu de 37% em dezembro para 44% em abril. Jair Bolsonaro (PSC-RJ) subiu de 7% para 11% das intenções de voto. Marina se manteve com 10% e Ciro Gomes (PDT-CE) os mesmos 4%. A soma dos adversários é de 34% dos votos válidos, os únicos contabilizados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE)

Na comparação com Alckmin (10% em dezembro e 6% em abril), Lula sobe para 45% contra 38% em dezembro. Bolsonaro subiu de 7% para 12%. Marina caiu de 12% para 11% e Ciro de 5% para 4%. A soma dos adversários é de 33% das intenções de votos.

Na comparação com Doria, Lula tem 45% das intenções de voto; Marina e Bolsonaro empatam com 11%; Ciro e Doria empatam com 5%; ninguém/ bancos/nulos têm 16%; não sabem/não responderam têm 7%. A soma dos adversários é de 32%.

Nas simulações de segundo turno, Lula também vence todos os candidatos. Se as eleições fossem hoje, Lula venceria Aécio Neves (PSDB-MG) por 50% a 17% das intenções de voto; Geraldo Alckmin (PSDB-SP) por 51% a 17%; Marina Silva (Rede-AC) por 49% a 19%; e João Doria (PSDB-SP) por 53% a 16%.

Lula é o mais citado espontaneamente

No voto espontâneo, quando os entrevistados não recebem as cartelas com os nomes dos candidatos, Lula também vence todos os possíveis candidatos. Lula tem 36% das intenções de voto – em dezembro eram 31%; Doria surgiu com 6% das intenções. Aécio, Marina e Alckmin registraram queda de intenção de votos em relação à pesquisa realizada em dezembro do ano passado.

Aécio caiu de 5% para 3%; Marina, de 4% para 2%; FHC, de 3% para 1%; e, Alckmin, de 2% para 1% – 8% disseram que votariam em outros; ninguém/branco/nulo totalizou 14% e não sabe/não responderam 29%.

Para o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Vagner Freitas, “quanto mais os brasileiros conhecem o presidente ilegítimo e golpista Michel Temer, mais avaliam seu desempenho como ruim e péssimo (65%) e mais sentem saudade do ex-presidente Lula”.
Vagner avalia que as medidas de arrocho, como o desmonte da Previdência (reprovado por 93% dos brasileiros) e a terceirização (reprovada por 80%), também contribuem para o crescimento das intenções de voto em Lula.

Para ele, Temer é um presidente sem projeto para o país, que não pensa na geração de emprego e renda; só pensa em ajuste fiscal nas costas dos trabalhadores e essa é das maiores razões para a avaliação negativa do ilegítimo.

Quanto mais o povo conhece Temer, melhor avaliado é Lula

Algumas perguntas feitas pela pesquisa CUT-VOX confirmam a tese do presidente da CUT. Para 50% dos entrevistados, Lula é o melhor presidente que o Brasil já teve (em dezembro eram 43%). O segundo colocado é FHC, que registrou queda na preferência do povo: 11% em abril contra 13% em dezembro/2016.

Apesar do massacre da mídia e da perseguição do Judiciário nos últimos anos, a maioria dos brasileiros diz que ele é trabalhador (66%), um líder e um bom político (64%), bom administrador/competente (58%), é capaz de enfrentar uma crise (58%), entende e se preocupa com os problemas das pessoas (57%), é sincero/tem credibilidade (45%) e é honesto (32%).

Aumentou para 57% o percentual de brasileiros que acham que Lula tem mais qualidades que defeitos (35%). Em dezembro do ano passado, 52% achavam que ele tinha mais qualidade e 39% mais defeitos.

Também aumentou para 66% (em dezembro eram 58%), o percentual dos entrevistados que acham que Lula cometeu erros, mas fez muito mais coisas boas pelo povo e pelo Brasil. Já os que acham que ele errou muito mais do que acertou caiu de 34% em dezembro para 28% em abril.

Já em relação aos que admiram Lula, apesar da perseguição cruel da Lava Jato, aumentou de 33% para 35% o percentual dos que admiram Lula. Em dezembro de 2016, 33% dos entrevistados admiravam/gostavam muito de Lula; em abril o percentual aumentou para 35%. Já o percentual dos que não admiram/nem gostam caiu de 37% no ano passado para 33% este ano.

O mais admirado e também o presidente que melhorou a vida do povo. Para 58% dos brasileiros, a vida melhorou nos 12 anos de governos do PT, com Lula e Dilma. Apenas 13% disseram que piorou e 28% responderam que nem melhorou/nem piorou.

A pesquisa CUT-VOX POPULI foi realizada entre os dias 6 e 10 de abril e entrevistou 2000 pessoas, em 118 municípios brasileiros. A margem de erro é de 2,2 %, estimada em um intervalo de confiança de 95%.


Foram ouvidas pessoas com mais de 16 anos, residentes em áreas urbanas e rurais, de todos os Estados e do Distrito Federal, em capitais, Regiões Metropolitanas e no interior.